Veco Noticias Sapezal

Perícia aponta que cadeirante que entrou em confronto com a PM foi morto a tiro em Cuiabá

Na ocorrência, os policiais militares registraram que Antônio morreu em decorrência de um infarto fulminante. Cadeirante estaria fazendo disparos no meio da rua e assustando moradores

Rede social

O exame de necrópsica feito no corpo do cadeirante Antônio Simão Martins, de 50 anos, que morreu na terça-feira (23), apontou que ele foi morto com um tiro, possivelmente efetuado por policiais militares que atenderam a ocorrência, em Barra do Garças, a 516 km de Cuiabá. Na ocorrência, os policiais militares registraram que Antônio morreu em decorrência de um infarto fulminante.

O tenente-coronel da PM, Edylson Figueiredo Pintel, afirmou que houve tiros disparados pelos policiais, mas que os militares não omitiram a informação e que registraram a troca de tiros na ocorrência.

“Inicialmente foi apresentado pela equipe médica que não havia nenhuma perfuração de arma de fogo nessa pessoa e também o diagnosticaram com uma possível parada cardíaca, sem nenhuma especificação”, explicou.

Edylson disse ainda que foi instaurado um inquérito para apurar os fatos e que já foi solicitado perícias na armas usadas pelos policiais.

Na terça-feira, a Polícia Militar foi acionada porque Antônio estaria disparando tiros em uma rua e assustando moradores e pessoas que passavam pelo local.

Ao chegarem, os militares contaram que tentaram conversar com o homem, mas ele teria disparado contra a viatura.

Os policiais disseram que continuaram tentando conversar para que ele soltasse a arma, porém, o pedido não foi atendido, o que fez com que os agentes efetuassem um disparo.

Durante o atendimento da ocorrência, a vítima sofreu um infarto, dado naquele momento como a causa da sua morte.

No entanto, a equipe da Polícia Civil de Santo Antônio do Leverger foi acionada e o delegado Adalberto Antônio de Oliveira acionou a equipe da Perícia Oficial e Identificação Técnica para atendimento de local de crime.

O corpo da vítima, que estava no hospital da cidade, foi removido para o Instituto Médico Legal (IML) de Cuiabá e exame de necrópsica, que apontou como causa da morte o disparo de arma de fogo.

O inquérito policial instaurado na Delegacia de Santo Antônio do Leverger para esclarecimento dos fatos está em andamento. O delegado ouvirá testemunhas que estava no local no momento da ocorrência, assim como os policiais envolvidos na ação.

A Polícia Civil informou que a Delegacia de Polícia de Santo Antônio do Leverger investiga a circunstância da morte de Antônio.

Rolar para cima