Veco Noticias Sapezal

Felipe Melo critica Sampaoli e projeta futuro de Abel Ferreira: “Tem muito a dar ao futebol”

“O Abel é jovem como treinador, conquistou seus primeiros títulos na carreira aqui no Palmeiras. Vejo que é um cara bem inteligente, demonstrou isso ao chegar no clube e se deparar com certos atletas que tem uma relevância no futebol. Ele fala com todo mundo: ‘Preciso mais de vocês do que vocês de mim’. Isso ganha o jogador. É um cara que cobra muito, não só ele, mas toda a comissão técnica”, afirmou.

Contratado no fim de outubro do ano passado, Abel Ferreira conquistou a Libertadores e a Copa do Brasil pelo Palmeiras. Felipe Melo destacou o início da carreira do português como técnico e ainda projetou o futuro do comandante.

“O Abel é um cara muito promissor. São pouquíssimos os treinadores que vão iniciar uma carreira de futebol dessa maneira, uma lenda já de um clube como o Palmeiras, ganhando Copa do Brasil e a Libertadores, além das duas finais pela frente, da Recopa (Sul-Americana) e a Supercopa do Brasil. Não chegou aqui apenas pelo nome, por ser português ou europeu, mas porque tem lenha para queimar, é muito inteligente. Temos aprendido bastante, estamos muito contentes. O melhor é que a gente entende que muitas coisas boas estão por vir. É um cara jovem e tem muito a dar ao futebol”, disse.

O camisa 30 do Verdão não falou apenas de Abel Ferreira. O jogador de 37 anos também comentou sobre Jorge Sampaoli, atual do comandante do Olympique de Marselha. Após treinar o Santos em 2019, o argentino esteve no Atlético-MG durante a temporada de 2020.

Ao falar sobre Sampaoli, Felipe Melo relembrou a vitória do Palmeiras por 3 a 0 sobre o Galo pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro, no Allianz Parque. O volante ainda ressaltou que o treinador não conquistou nada no Brasil e, mesmo assim, “encantou” no país.

“O Atlético-MG, do grande Sampaoli, que é um grandíssimo treinador, mas que infelizmente não ganhou nada. Fez aquele encanto todo aqui no Brasil, mas não ganhou nada. Foi muito simples aquele jogo. O treinador, o Cebola, pediu: ‘Dá uma encostada aqui, que eles têm uma linha de cinco lá na frente. A gente faz uma linha de cinco aqui atrás, também’. A gente não precisou fazer muita coisa. Se eu não me engano, foi 3 a 0. Um baita time do Atlético-MG”, disse.

Felipe Melo ainda garantiu que as críticas não são por conta da nacionalidade do técnico, elogiando o trabalho que o português Jorge Jesus fez no Flamengo.

“Nós temos grandes treinadores que aumentaram o sarrafo aqui no Brasil e que são os estrangeiros. Jorge Jesus, que é uma lenda do Flamengo, o próprio Abel, dentre outros grandes treinadores que vieram de fora e que aumentaram o sarrafo daqui. Isso é bom para os treinadores brasileiros, mas a gente não pode esquecer do nosso produto nacional. Muita gente vem de fora, ganha e tem que bater palma, tirar o chapéu. Mas muita gente vem de fora pra cá, tentando impor uma situação que aqui não existe, e as pessoas batem palma”, pontuou

“Como esse treinador (Jorge Sampaoli), por exemplo. Eu tenho muito respeito por ele, pelo que ele faz. Mas ele na Argentina não conseguiu ganhar nada. E o cara que não consegue ganhar com a Argentina, com Messi, alguma coisa tem. Ganhou no Chile, parabéns pelo que ele fez, mas aqui no Brasil eu vejo muitos outros treinadores que foram melhores que eles, que são melhores que ele, mas que as pessoas não batem palma”, complementou.

Curiosamente, Jorge Sampaoli foi bastante especulado no Palmeiras no início de 2020. Felipe Melo revelou que não foi consultado sobre uma possível chegada do treinador e, apesar das críticas, disse que gostaria de trabalhar com o argentino.

“Isso não faz parte do atleta. Se me ligassem, o que não aconteceu, eu daria minha opinião. Com certeza eu queria trabalhar com o Sampaoli, sim. A forma dele jogar encanta todo mundo, é sempre bom atacar. É muito melhor atacar do que correr para trás. Contra o Santos (em 2019), ganhamos de 4 a 0 (no primeiro turno), mas no segundo tomamos um baile. Se você não encaixar as peças da forma certa, dificilmente você consegue marcar o outro time. Você tem peças, grandes jogadores, com um treinador que gosta muito de atacar. Queria poder trabalhar com um treinador assim”, revelou.

Por outro lado, o atleta se definiu como “conservador” ao falar sobre seu estilo favorito de praticar futebol. Para o volante, é necessário ter uma boa defesa primeiro para depois atacar. Ao explicar, Felipe Melo voltou a elogiar Abel Ferreira.

“Eu me vejo um camarada muito mais conservador. Seu eu fosse treinador, gostaria de atacar sim, mas o melhor é não tomar gol. E depois, tendo um bom time, você vai fazer as coisas acontecerem como tem acontecido com o Abel. Por isso tenho gostado demais de trabalhar com ele. Quando tem que atacar, manda atacar para fazer gol, mas a gente não pode esquecer também de defender”, concluiu.

Rolar para cima